Memorando de Entendimento: O que é e Quando Usar

Tempo de leitura: 6 minutos

De uma forma direta, o memorando de entendimento é um acordo firmado entre duas ou mais partes para alinhar os termos e detalhes de um entendimento, assim como seus direitos e deveres.

Na maior parte das vezes, o memorando de entendimento ou MOU (Memorandum of Understanding) serve como primeiro passo para a formalização de um documento jurídico mais elaborado como um contrato social.

Apesar de ser um documento importante, o memorando de entendimento é facilmente negligenciado pela maioria dos novos empreendedores por total falta de conhecimento de sua existência ou por desconsiderar sua utilidade.

No entanto, dentro do universo de Startups e pequenas empresas, esse documento se torna uma peça estratégica pois pode gerar entre as partes um entendimento com os direitos e obrigações de cada parte envolvida no negócio.

Podemos considerar o MOU como uma versão mais formal de um acordo verbal ou um acordo de cavalheiros.

Por conta disso, este artigo foi elaborado com o intuito de explicar a importância de um memorando de entendimento na formalização de uma empresa.

Neste artigo, você vai ler sobre:

  • O que é um Memorando de Entendimento?
  • A importância do Memorando de Entendimento
  • Elementos Essenciais no Documento
  • Quando Utilizar esse Acordo

Quer entender mais sobre esse documento que pode ser uma peça essencial no início da sua empresa? Continue a leitura logo abaixo.

O que é um Memorando de Entendimento?

Conforme explicamos acima, o Memorando de Entendimento é um documento usado por empreendedores para alinhar as bases negociais, expectativas e linhas de ação entre duas ou mais partes.

O memorando é um acordo de troca de informações e de cooperação mútua entre as partes, com o alinhamento de tudo que foi discutido e acordado, bem como a previsão de soluções para hipóteses.

Ao firmar um memorando, as partes estão dizendo claramente uma a outra: “Esses são os detalhes do entendimento que tivemos sobre determinado assunto ou projeto e nos comprometemos a segui-lo.”

Nesse documento podem constar informações como:

  • A divisão da participação de cada sócio;
  • O papel de cada sócio;
  • Valores que serão investidos no empreendimento por cada sócio;
  • A eventual saída de um sócio;
  • A forma de remuneração dos mesmos.
  • Possibilidade de diluição societária;
  • Alinhamento sobre propriedade intelectual;
  • Entre outras.

É muito comum que o novo empreendedor acabe confundindo o memorando de entendimento com o contrato social da empresa ou mesmo o acordo de sócios.

No entanto, o MoU não equivale, a princípio, a tais documentos, sendo na verdade um ofício a parte que serve como uma primeira etapa para nortear as ações dos sócios e da empresa.

O papel do memorando não se limita apenas a um entendimento mútuo entre os sócios de uma empresa. Ele também pode ser utilizado para desde uma troca de informações públicas – como dados sobre empresa e outros aspectos – até transferência informações sigilosas para fins jurídicos ou investigativos.

A importância do Memorando de Entendimento

É muito importante que os sócios fundadores de uma empresa, logo no início de sua formalização, se reúnam com sua assessoria jurídica a fim de elaborar um Memorando de Entendimentos, contendo as principais informações para o bom andamento da empresa e da relação societária.

Muitas vezes, os novos empreendedores acabam considerando apenas o contrato social como importante no momento da criação da empresa e deixam também de formalizar relações prévias à constituição da empresa.

O contrato social é a certidão de nascimento de uma empresa. Por conta disso, sempre frisamos a importância de não utilizar um modelo de contrato pronto encontrado na internet.

O memorando de entendimento pode ser utilizado para complementar o contrato. O documento pode ser usado pelos sócios fundadores para o estabelecimento de um entendimento mútuo de suas responsabilidades, deveres, horários, retiradas, venda de participações, entre outros.

O memorando deixa claro a intenção acordada entre todas as partes envolvidas assim como pode estabelecer instruções em caso de saída ou entrada de novos sócios e investidores.

No entanto, é importante citar que o MoU não pode ser usado como um contrato oficial para todas as transações da empresa, sendo necessário, por vezes, refletir o que consta neste documento para outros contratos, como acordos de sócios.

Elementos Essenciais no Memorando

O Memorando de Entendimento pode variar conforme sua função e utilização. No entanto, existem alguns elementos básicos como qualquer outro documento jurídico que ajudam a configurá-lo e auxiliam na compreensão entre as partes.

Um MOU normalmente é contém os seguintes elementos:

  • Introdução;
  • Definições;
  • Princípios;
  • Escopo;
  • Cláusulas societárias (drag along, tag along, vesting, preferência, etc);
  • Propriedade Intelectual;
  • Cláusula de resolução de conflitos;
  • Confidencialidade (que pode ser complementado por um contrato de confidencialidade a parte);
  • Vigência;
  • Pessoas de contato;
  • Entre outras.

Logicamente, esses elementos podem mudar de memorando para memorando. Porém, são elementos importantes para deixar o documento de forma mais formal o possível.

É válido relembrar a necessidade da presença de uma assessoria jurídica para elaborar ou revisar esses documentos.

Erros cometidos no Memorando de Entendimentos podem ocasionar em disputas judiciais e até prejuízo entre as partes envolvidas.

Quando Utilizar esse Acordo

Basicamente, esse documento pode ser utilizado sempre que duas ou mais partes precisam deixar claro quais são os termos e acordos feitos sobre um determinado assunto, projeto ou sociedade e quais as instruções a serem seguidas.

Além disso, o Memorando de Entendimento serve como versão mais formal de um contrato verbal. Isso demonstra uma compreensão mútua entre as partes de seus direitos e responsabilidades.

O MoU também é pode ser utilizado como um passo importante em uma negociação formal em direção a celebração de um contrato final, seja ele de investimento, aquisição de participação societária, investimento, mera opção de compra, dentre outros.

Sendo assim, o memorando pode e deve ser utilizado sempre quando for necessário deixar mais formal qualquer entendimento durante uma negociação.

E você? Em que ocasiões tem utilizado o Memorando de Entendimentos na sua empresa com sócios, colaboradores, investidores ou clientes?

Tem alguma dúvida sobre o assunto? Deixe um comentário abaixo que teremos enorme prazer em responder.

7 Comentários


  1. Prezados,

    Obrigada pelo esclarecimento. No entanto, gostaria de saber mais sob o ponto de vista governamental. Qual diferença entre memorando e acordo? Muitas vezes o memorando fica vigente muitos anos e é renovado. E o acordo não sai. O memorando tem validade de acordo?

    Grata,
    Maria.

    Responder

    1. Olá Maria,

      Tudo bem?

      Espero que tenha gostado do conteúdo.

      O nome do documento é indiferente neste caso para o que se propõe. O que vai importar são os temas tratados, as formalidades adotadas e o teor das cláusulas presentes.

      De qualquer forma, fico à disposição para ajudar você no seu caso específico.

      Caso tenha interesse, entre em contato pelo email fabiocendao@fcmlaw.com.br.

      Abraços,

      Responder

  2. Tendo um estabelecimento arrendado a uma empresa há 60 anos tendo essa empresa vendido a outra e essa a outra e sempre que isso acontesse tenho pago as respetivas rendas ás diversas empresas sempre a receber os respectivos recibos tudo na maior normalidade possivel até que me deparo com a não aceitação da renda dizendo que o proprietario do estabelecimento é o propriétario do predio onde o estabelecimento está englobado mas com outro artigo. tentando dialogar com as partes o qual nunca quiseram marcar qualqur reunião tendo posto o assunto num julgado de paz o qual ao fim de 3 anos recebo uma nutificação para um entendimento e nesse dia me é apresentado um momerando de entendimento entre as duas partes entressadas que trocam estre si o dito estabelecimento ao ler não encontro qualquer direitos adquiridos pelo enquilino porque o estabelecimento não tem casas de banho e serve-se das do senhorio como só posso entrar no estabelecimento pela portado senhorio como gasto luz do senhorio como posso passar de senhorio que não me faculta a entrada as casas de banho a luz será que esse memorando de entendimento tem alguma validade? Agradecia uma resposta pôes estou numa aflição.

    Responder

    1. Olá José,

      Tudo bem?

      O seu caso é bem específico, seria melhor agendarmos uma reunião para conversarmos.

      Ficamos à disposição para isso pelo email fabiocendao@fcmlaw.com.br

      Abraços,

      Responder

    2. Obrigado caro amigo pelo interesse mas só queria saber se o memorando é legal perante não haver clausulas de direitos adquiridos pelo inquilino.
      visto passar de um selhorio que tem direito luz,entrada e casas de banho passar para um que nada lhe faculta isso

      Responder

    1. Olá, Alexis.Tudo bem?

      Com certeza! O Memorando é um documento que pode servir para regular diversas relações, inclusive para sócios de uma empresa que presta serviços educacionais.

      Qualquer dúvida, estamos à disposição.

      Abraços

      Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *