O “lado B” do Instagram: o que fazer diante de crimes cibernéticos?

Tempo de leitura: 4 minutos

Quem hoje não possui uma conta no instagram, não é mesmo?
Quem hoje não possui uma conta no instagram, não é mesmo?

Conhecida como a rede social da década, ela foi criada em 2010 com o intuito de compartilhamento de fotos, vídeos e troca de likes entre os seus usuários. Tratava-se de um simples aplicativo usado como um “álbum de fotos”. 

À medida que os anos foram passando a rede veio evoluindo e junto com ela apresentando cada vez mais novas funções, como stories, direct, boomerang e reels. Na pandemia, a rede começou a ser a aposta perfeita de muitos famosos para realização de lives e, consequentemente, garantir a interação com seu público. 

Hoje é possível encontrar contas que destinam seu conteúdo para os mais diversos públicos e gostos: arte, humor, fotografia, culinária, educação, viagens, moda, as opções são diversas. O tempo todo, as pessoas estão interagindo digitalmente. Estima-se que o Brasil é um dos países que mais possuem usuários conectados, com cerca de 99 milhões de brasileiros usando a rede diariamente.

Com o estabelecimento de lojas virtuais, com faturamento mensal que chega a cifras de até sete dígitos, as contas comerciais devem ter o mesmo tratamento dado ao fundo de comércio. Embora ainda não tenha sido disciplinado por lei, tais contas comerciais contam com seguidores fieis e com um engajamento que, se quantificado, possuem um alto valor aquisitivo.  

Dito isso, pelas possibilidades de obtenção de lucros e a antiga crença que “internet é uma terra sem lei”, diversas contas comerciais consolidadas vêm sendo os principais alvos de crimes cibernéticos por aqueles que desejam obter vantagem de forma fraudulenta, é o chamado lado b.  

Centenas de contas já foram identificadas e posteriormente desativadas por conter nome de usuários comprados ilegalmente em fóruns da web. Tais perfis eram roubados e comercializados por valores que chegam a R$ 215 mil! Na maioria dos casos identificados, os hackers conseguiram roubar as contas clonando o celular da vítima, desse modo passavam a ter controle do número de telefone, o que facilitava a redefinição das senhas dos apps vinculados.  

Além disso, existem relatos de vítimas que tiveram o próprio número do celular trocado por outro chip em lojas físicas das operadoras e, por meio de SMS, os infratores conseguiram trocar as informações de login e em seguida aplicar o golpe. 

Outro caso, divulgado pelo G1 mostra criminosos que criaram perfis falsos e se passaram por empresas para dar golpe em seus clientes, utilizavam-se, assim, as mesmas informações como fotos e a logomarca da empresa, tudo isso com o intuito de enganar e obter vantagens ilícitas de terceiros.  

Infelizmente é um crime que todos nós, usuários de mídias sociais, estamos à mercê de sermos vítimas, principalmente as grandes contas comerciais, por conta de apresentarem um grande número de seguidores, bem como uma rede de clientes fixos. No entanto, algumas atitudes podem ajudar a resguardar a responsabilidade do usuário, mas é importante que tudo seja feito de forma rápida e segura. 

Por conta disso, separamos para você algumas atitudes que devem ser tomadas diante de crimes cibernéticos: 

  1. Imediatamente comunique ao instagram e a operadora telefônica na qual a conta é vinculada.  
  1. Encaminhe e-mail, sms e whatsapp aos clientes. Além disso, inclua banner no site da empresa com a informação do ocorrido. Nesse momento é de extrema importância que sua rede de contato tenha ciência do fato.  
  1. Realize um boletim de ocorrência junto a delegacia especializada em crimes cibernéticos. 
  1. Junte o máximo de provas possíveis. Tais provas podem ajudar a mitigar eventuais responsabilidades eventualmente impostas à conta comercial. 

Além disso, para se prevenir de tais ameaças já existem diversos aplicativos disponíveis que possibilitam a autenticação em dois fatores. Essa verificação funciona como uma espécie extra de defesa, vez que permite mais uma etapa de verificação do usuário (além da senha) e tem o intuito de bloquear invasões de pessoas que agem de má-fé. 

Outro ponto importante, diante da prática desses crimes é contar com uma assessoria jurídica, a qual poderá te auxiliar a lidar com tal situação, bem como adotar medidas preventivas para se esquivar de possíveis responsabilidades futuras. Para isso, conte sempre conosco! 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *