As transformações que a tecnologia blockchain pode trazer para o futebol

Tempo de leitura: 3 minutos

Sabemos que a tecnologia transformou o modo como consumimos, realizamos pagamentos e até mesmo como nos relacionamos com outras pessoas. Mas você já parou para pensar como ela pode influenciar o seu clube do coração e a forma como você interage com ele? Hoje vamos te mostrar como a tecnologia blockchain vem impactando o universo do futebol.

Uma das primeiras incursões da tecnologia blockchain no mundo do futebol foi realizada ainda em 2014, quando o GKS Katowice, time da Polônia, passou a aceitar bitcoin como forma de pagamento para ingressos e merchandise. O modelo foi seguido pelo Benfica, de Portugal, e até mesmo pela UEFA que, em 2018, utilizou um aplicativo de celular baseado em blockchain para realizar a venda de ingressos da final da UEFA Europa League e prometeu repetir a dose na EURO 2020, que acabou adiada para 2021 em razão da pandemia do novo coronavírus.

Ainda em 2018, o Harunustaspor, clube amador da Turquia entrou para história ao realizar a primeira transferência de atleta utilizando criptomoedas. Omer Faruk Kiroglu chegou ao clube por 0.0524 BTC (aproximadamente €450). A partir disso, diversas transferências forma realizadas da mesma forma, com destaque para o Rimini FC 1912, time da Série C italiana, que foi comprado por Victor Pablo Dana, empresário dono da Quantocoin, utilizando sua própria criptomoeda.

Atualmente, podemos ver a força da tecnologia blockchain ao assistir jogos da Premier League, onde empresas do ramo patrocinam diversos clubes e tem seu nome exibido nas placas de publicidade ao redor do gramado. Além disso, clubes como o Manchester City possuem uma série de produtos blockchain colecionáveis como o FC Superstars, jogo que permite aos usuários criar sua equipe e desenvolver as características de seus jogadores para, posteriormente, registrá-lo na blockchain da Ethereum e torná-lo um ativo digital.

As transformações promovidas pela entrada da tecnologia blockchain no mundo do futebol não se restringem a clubes e atletas, alcançando, também, os torcedores com os chamados FTO – Fan Token Offering. Prova disso é a Socios.com, plataforma que oferece aos torcedores diversas opções para engajamento como a possibilidade de voto em enquetes disponibilizadas por clubes parceiros. Atualmente, estão presentes na Plataforma clubes como Barcelona, Juventus e Paris Saint-Germain.

Outras iniciativas no setor são a tokenização de jogadores, como a anunciada por James Rodriguez, meio-campista do Real Madrid, que através de uma parceria com a SelfSell lançou seu próprio token, o JR10 que concede aos seus proprietários ofertas exclusivas de produtos oficiais do colombiano, permite participar de encontros de fãs e contribuir para o crescimento do nome do atleta no mercado esportivo. Essa medida também já foi tomada por ex-jogadores como o inglês Michael Owen, com a Owen Coin e Ronaldinho Gaúcho com o Ronaldinho Soccer Coin.

No Brasil, destaca-se a OleCoin, plataforma liderada pelo empresário André Figer que conta com ex-jogadores, agentes e empresas de marketing, que pretende impactar as categorias de base, financiando jovens jogadores através da tokenização dos mesmos. A partir disso, investidores poderão ajudar jovens talentos em seu desenvolvimento em troca de recebíveis futuros de salário ou marketing.

Ainda em solo nacional, a Mercado Bitcoin, impulsionada pelo sucesso na tokenização de precatórios, pretende se lançar no mundo dos boleiros promovendo a tokenização baseada no mecanismo de solidariedade da FIFA, um percentual que os clubes recebem quando um jogador que passou por suas categorias de base é negociado.

Com os exemplos trazidos aqui é impossível não perceber que o futebol vem, cada vez mais, sendo impactado pela tecnologia blockchain, e que a tendência é de crescimento de iniciativas como essas no futuro.

Curtiu o conteúdo e quer saber mais sobre os impactos da tecnologia no futebol? Confira o papo promovido pelos sócios do FCMLAW Fábio Cendão e Gabriel Laender com o Vice-Presidente Executivo do Grupo Figer, André Figer, clicando aqui!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *